Zero Real


O seu olho, o que vê?
Cada detalhe foi usado pelo Liquidificador Sem Tampa para construir significados para “Zero Real”.
MAS... por que “Zero Real”?

O seu olho, o que percebe?
Uma cédula de dinheiro brasileiro? Uma obra de arte pública?
Idéia
Para produzir “Zero Real”, o L.S.T. baseou-se na nota de “Zero cruzeiro” criada pelo artista Cildo Meireles entre 1974 e 1978.
“Zero cruzeiro” é um trabalho que mostra uma cédula com valor zero. Apesar disso, ela está carregada de valores simbólicos. Eles estão relacionados à nação que essa moeda representa: o Brasil.
De um lado, um índio kraô, sobrevivente de um massacre sofrido por sua tribo, realizado a mando de fazendeiros em Goiás.
De outro, um doente interno de um hospital psiquiátrico, em foto tirada pelo artista.
Os índios primitivamente estiveram fora do sistema da moeda. Não usavam dinheiro. No Brasil, rasgar dinheiro é prova de estar louco. Ambos – índios e loucos – estariam portanto fora do campo da moeda, do campo do capital. “Zero cruzeiro” é um conflito entre razão e loucura.
Em “Zero cruzeiro”, o dinheiro é o tema e o suporte. Ambos constroem o objeto.
• Tema: dinheiro brasileiro
• Suporte: cédula baseada em nota de 10 cruzeiros (tamanho, cor, grafismos, letras, algarismos)
• Objeto: “Zero cruzeiro” é uma obra de arte-cédula semelhante ao dinheiro.
Neste início de século XXI, no Brasil, “Zero cruzeiro” poderia equivaler a “Zero real”. Nessa obra, Cildo Meireles faz críticas.
Entre outras coisas, ele comenta:
• a exclusão social e cultural (do índio e do doente mental pobre)
• os valores humanos que servem aos valores de mercado
• o trabalho que sustenta o poder
• a arte que é transformada em mercadoria
• o valor/desvalor do dinheiro e das pessoas

“A obra de Cildo Meireles tece memória afetiva, vivências culturais com gente simples, conhecimento científico (com seu fascínio pela Física, Matemática e Geografia) e consciência crítica da História.”
Paulo Herkenhoff, em “Cildo Meireles, Geografia do Brasil”.

Inspirada em “Zero Cruzeiro” a obra “Zero Real” faz pensar sobre temas atuais da política, da economia, da sociedade e da cultura.
Em “Zero Real”, o L.S.T. discute a falta de valor de pessoas como as “crianças que vivem na rua”, gente a quem a sociedade geralmente dá “zero valor”, impondo-lhes a categoria cínica e capitalística de existência sem-valia. Em “Zero Real”, o dinheiro é o suporte e o tema é a criança e o adolescente em situação de vulnerabilidade física, afetiva e social. Ambos constroem o objeto de arte pública e interferência cognitiva no consenso absurdo da vida.
• Suporte: cédula baseada em nota de 100 reais (tamanho, grafismos, letras, algarismos)
• Objeto: “Zero Real” é uma obra de arte-cédula semelhante ao dinheiro.
Assimcomo em “Zero cruzeiro” "Zero Real" fala de valores perdidos que
precisam ser reencontrados.

Documentação
video
Intervenção realizada em terminais de ônibus - Fortaleza,2008.

video
Vídeo-Instalação na Cidade da Criança - Fortaleza, 2008.

video
Intervenção realizada no seminário "Criança Não é de Rua" - Fortaleza, 2008

Sensações e Reações

video

Trabalho de intervenção no espaço público urbano com imagens que instigam e convidam o transeute a refletir e opinar sobre o consumo de drogas.
A obra de Arte Pública Sensações e Reações se constitui como um fórum sobre drogas de participação popular e uma ferramenta na pedagogia social de rua.


video

Vídeo-Instalação na Cidade da Criança - Fortaleza, 2007.